Quomodo Blog

Vocês sabiam que até 2023, mais de 27 milhões de pessoas irão comprar online pela primeira vez? Parece muita gente – e é! E essa prática parece ganhar cada vez mais popularidade principalmente entre as mães. Afinal, falta tempo para sair de casa e facilita muuuuito o fato dos pequenos não precisarem experimentar as roupas antes de comprar.

 

Mesmo com o crescente número de compradores online, nem todo mundo sabe diferenciar o que é mito e o que é verdade dentro do ecommerce. Fizemos uma lista para ajudar os papais e mamães a saberem o que é furada e o que realmente precisa de atenção. Confira!

 

Compras pela internet só podem ser realizadas através do cartão de crédito

 

Mito. As pessoas costumam fazer essa associação por causa da praticidade e pela possibilidade de parcelar as compras. Mas isso não significa que o cartão de crédito é a única forma de pagamento dentro do universo do ecommerce. A opção de pagar com o boleto bancário é obrigatória e algumas lojas também oferecem a opção de débito online, que direciona o consumidor automaticamente para o site do banco para realizar a transferência.

 

 

Na internet, há mais variedade de opções de produtos

 

Verdade. No mundo real, você visita uma loja de cada vez. Já na Internet, pode desafiar aquele velho ditado que não podemos “estar” em vários lugares. Ao invés de ficar limitada aos estabelecimentos perto da sua casa ou trabalho, você consegue conferir os produtos de várias lojas do Brasil. E você também consegue comprar os preços e fretes, além das condições de pagamento de cada loja apenas mudando de aba. Prático, né?

 

 

Não tem como trocar as roupas online

 

Mito. O Código do Consumidor garante que toda e qualquer produto pode ser trocado ou devolvido em um período de até sete dias – contanto que o mesmo se encontre em perfeito estado de conservação. Ou seja, sem rasgos, manchas ou algo do tipo. A Loja Era Uma Vez aceita a desistência da compra por um período de até 180 dias corridos a partir da entrega da compra, contanto que o item não esteja com o lacre da embalagem violado ou com qualquer indício de uso.

 

Comprar roupas para bebês online não é seguro

 

Mito. É claro que existem alguns sites de procedência duvidosa, mas isso não significa que toda e qualquer compra vai resultar no seu cartão clonado. É preciso tomar alguns cuidados, como verificar o histórico daquela loja – uma dica simples é jogar o nome no Google e ver os principais resultados, inclusive o Reclame Aqui. Outra recomendação é sempre ler os termos e condições do site, que explicam praticamente tudo o que você precisa saber. Quer mais dicas de como comprar roupas online com segurança? Clique aqui e confira nosso post sobre esse tema!

Viram? Comprar roupas para bebê online não é – nem precisa ser – um bicho de sete cabeças. Com as nossas dicas, vocês agora estão mais atentos e sabem identificar o que é besteira e o que vale atenção redobrada. A Loja Era Uma Vez é uma das melhores formas de comprar roupas e outros itens essenciais para os pequenos. Confira nosso site e aproveite nossas super promoções!

A Organização Mundial da Saúde (OMS) recomenda que, até os seis meses de idade, o bebê seja alimentado exclusivamente do leite materno. São raros os casos que necessitam de complementação ou substituição. A partir dos seis meses, o sistema digestivo do bebê já está preparado para receber outros tipos de alimentos sólidos.

 

A amamentação após essa idade deve ser um complemento, e não a alimentação principal. Por isso, as mães devem começar a introduzir alimentos sólidos na rotina do bebê. Neste texto, separamos algumas dicas de como fazer essa mudança da melhor forma possível para todo mundo da família. Confira:

 

Seja paciente

 

Às vezes, os pais começam a nova dieta dos pequenos com a expectativa lá em cima, mas nem sempre ela se concretize. Por isso é importante perceber que, para os bebês, os alimentos sólidos são uma diferença muito brusca em relação ao que eles estavam acostumados (algo líquido), e por isso é normal eles estranharem. Choro, birra e caretas fazem parte do processo e os pais não devem desanimar por causa disso.

 

Então a dica inicial é não desistam caso um alimento seja rejeitado de primeira. Tente novamente alguns dias depois, em diferentes formatos e horários. O ideal é que a criança se acostume, desde pequeno, com os horários das refeições, bem como alimentos mais saudáveis, como frutas e verduras.

 

Monte um cardápio e uma rotina

 

Quando somos adultos, não costumamos ligar para quando vamos comer o quê. Nem sempre temos um horário que costumamos nos alimentar e se tiver algo na geladeira, beleza; se não tiver, a gente se vira, sai para comer. O mesmo não pode ser dito dos pequenos: para eles, é muito importante ter uma rotina, ou seja, horários certinhos para fazerem suas refeições.

 

 

Para facilitar esse processo, os pais podem montar um cardápio e assim se planejarem para a semana. Na fase inicial da introdução dos alimentos sólidos, comece com frutas, cortadas ou amassadas como se fossem purês, e verduras, de preferência sem sal e assadas. Desta forma, o paladar do bebê vai se acostumar desde cedo com essas comidas e quando ele crescer, vai ser bem mais aberto a experimentar coisas novas.

 

 

De olho nos temperos

 

No primeiro momento, pule a adição de sal e açúcar, seja nos alimentos ou nas papinhas. Os nutricionistas recomendam que não seja adicionada nenhuma quantidade de sal ou açúcar nos alimentos do bebê até que ele complete um ano e meio. Quanto mais tempo os pais retardarem essa adição, melhor. Isso não sigifica que a comida não vai ficar gostosa: aos poucos, os pais podem adicionar ervas e raspas de frutas para dar um gostinho a mais.

 

 

Gostou das nossas dicas? Então continue acessando nosso site, sempre tem conteúdo novo e dicas para os pais aproveitarem essa fase tão gostosa da vida dos pequenos. A Loja Era Uma Vez tem vários produtos que vão facilitar a introdução dos alimentos sólidos na rotina dos bebês. Entre no nosso site e confira os preços e promoções.