Quomodo Blog

Mais crianças uniformizadas andando na rua, vans escolares circulando e mais trânsito nos horários de entrada e saída dos colégios. Pois é, papais e mamães, as aulas voltaram com força total! E se este momento serve como um alívio para os responsáveis, ele pode ser fonte de muito estresse para os pequenos. Por isso, separamos dicas de como tornar a volta às aulas mais especial e tranquila. Confira!

 

Converse com a criança

 

Uma das primeiras – e talvez mais importantes – dicas é ouvir o que o pequeno tem a dizer. Abra oportunidades de diálogo e evite considerar tudo o que a criança fala como “infantilidade”. Esses momentos de diálogo são importantíssimos dentro do seio familiar e serão uma base importante para os outros passos da vida do menino ou da menine. Reafirme sempre que necessário que vocês estão ali para apoiar o pimpolho, escutar suas aflições e ajudar a enfrentar os desafios que vão aparecer no caminho.

 

Estabeleça uma rotina

 

Especialistas afirmam que é de extrema importância escolher e estabelecer uma rotina para desenvolver a independência e a autonomia infantil. O principal argumento que sustenta essa teoria é a rotina promove a estabilidade; como consequência, a criança fica segura porque sabe o que vai acontecer. Envolva os pimpolhos quando for organizar os horários e deixe tudo escrito em um local visível, para ele ou ela poder  consultar sempre que tiver dúvidas.

 

Escolha um dia de diversão

 

Uma vez que vocês já estabeleceram a rotina, uma boa forma de deixar a volta às aulas ainda mais bacana é escolher um dia de diversão. Ou seja, um dia com atividades lúdicas e sem tantas responsabilidades – mas é importante deixar algumas para a criança já ir se acostumando. Neste “dia livre” pode-se incluir compromissos como aulas de teatro, tarde no parquinho ou uma hora extra de videogame. Tudo isso bem explicado e incluso no quadro de rotinas.

 

Volte aos poucos

 

Estamos enfatizando muito o conceito de rotina porque sabemos que, durante as férias, é normal que as atividades e os horários da criança mudem. Por isso, uma semana antes das aulas começarem, volte aos poucos com a programação escolar. Antes da volta definitiva, restabeleça os horários de dormir e de acordar para o pequeno já ir se acostumando e não sofrer com uma mudança brusca.

 

 

Confira se o material escolar está completo

 

Peguei a lista do material escolar e veja se está tudo de acordo ou se falta algo. Neste momento também é importante verificar se o tênis do pequeno ainda cabe – sabemos que o pé cresce rápido nessa fase. Outra dica é conferir se está tudo certo com a mochila, se ela é resistente ou se precisa ser reparada e até mesmo substituída.

 

 

O que vocês acharam das nossas dicas? Quais são as técnicas que vocês usam para tornar a voltas às aulas ainda mais especiais? Deixem suas respostas nos comentários! Aproveite para dar uma passadinha na Loja Era Uma Vez e confira os produtos que vão facilitar neste momento tão bacana.Temos promoções e excelentes condições de pagamentos que cabem em todos os bolsos!

A Organização Mundial da Saúde (OMS) recomenda que, até os seis meses de idade, o bebê seja alimentado exclusivamente do leite materno. São raros os casos que necessitam de complementação ou substituição. A partir dos seis meses, o sistema digestivo do bebê já está preparado para receber outros tipos de alimentos sólidos.

 

A amamentação após essa idade deve ser um complemento, e não a alimentação principal. Por isso, as mães devem começar a introduzir alimentos sólidos na rotina do bebê. Neste texto, separamos algumas dicas de como fazer essa mudança da melhor forma possível para todo mundo da família. Confira:

 

Seja paciente

 

Às vezes, os pais começam a nova dieta dos pequenos com a expectativa lá em cima, mas nem sempre ela se concretize. Por isso é importante perceber que, para os bebês, os alimentos sólidos são uma diferença muito brusca em relação ao que eles estavam acostumados (algo líquido), e por isso é normal eles estranharem. Choro, birra e caretas fazem parte do processo e os pais não devem desanimar por causa disso.

 

Então a dica inicial é não desistam caso um alimento seja rejeitado de primeira. Tente novamente alguns dias depois, em diferentes formatos e horários. O ideal é que a criança se acostume, desde pequeno, com os horários das refeições, bem como alimentos mais saudáveis, como frutas e verduras.

 

Monte um cardápio e uma rotina

 

Quando somos adultos, não costumamos ligar para quando vamos comer o quê. Nem sempre temos um horário que costumamos nos alimentar e se tiver algo na geladeira, beleza; se não tiver, a gente se vira, sai para comer. O mesmo não pode ser dito dos pequenos: para eles, é muito importante ter uma rotina, ou seja, horários certinhos para fazerem suas refeições.

 

 

Para facilitar esse processo, os pais podem montar um cardápio e assim se planejarem para a semana. Na fase inicial da introdução dos alimentos sólidos, comece com frutas, cortadas ou amassadas como se fossem purês, e verduras, de preferência sem sal e assadas. Desta forma, o paladar do bebê vai se acostumar desde cedo com essas comidas e quando ele crescer, vai ser bem mais aberto a experimentar coisas novas.

 

 

De olho nos temperos

 

No primeiro momento, pule a adição de sal e açúcar, seja nos alimentos ou nas papinhas. Os nutricionistas recomendam que não seja adicionada nenhuma quantidade de sal ou açúcar nos alimentos do bebê até que ele complete um ano e meio. Quanto mais tempo os pais retardarem essa adição, melhor. Isso não sigifica que a comida não vai ficar gostosa: aos poucos, os pais podem adicionar ervas e raspas de frutas para dar um gostinho a mais.

 

 

Gostou das nossas dicas? Então continue acessando nosso site, sempre tem conteúdo novo e dicas para os pais aproveitarem essa fase tão gostosa da vida dos pequenos. A Loja Era Uma Vez tem vários produtos que vão facilitar a introdução dos alimentos sólidos na rotina dos bebês. Entre no nosso site e confira os preços e promoções.

Chegou o grande momento do bebê nascer! O que significa que é hora de ir para a maternidade – mas antes é preciso escolher quais são os itens que vão para a bolsa de maternidade nesta hora tão importante. O recomendado é deixar tudo pronto com 36 semana de gestação, mesmo que a mala fique no canto do quarto por alguns dias a mais. É aquele velho ditado: “o seguro morreu de velho”.

 

Muitos hospitais já entregam para as futuras mamães uma lista com os produtos indicados para o período, então é importante conferir isso com a maternidade antes de montar a lista. Mesmo assim, se quiser garantir que nada vai faltar para o bebê e saber porquê é tão importante investir numa bolsa de maternidade de qualidade, confira o nosso texto!

A bolsa de maternidade vai além da maternidade

 

A bolsa de maternidade serve também para as saídas e viagens em família, em que são preciso levar itens para o pimpolho ficar o mais confortável possível.

 

 

Por isso é preciso levar em consideração algumas características da bolsa, como o seu interior. O revestimento de polipropileno ajuda a conversar a temperatura dos alimentos ou líquidos, além de ser fácil de limpar e super resistente. Desta forma, mesmo se a mamadeira derramar ou o potinho de comida cair dentro da bolsa, vai ser bem tranquilo limpar a sujeira.

 


Pensando na praticidade e no conforto das futuras mamães e papais, existem hoje modelos de bolsa transversais e em formato de mochila. Esse modelo está cada vez ganhando mais adeptas porque deixam as mãos livres para cuidar dos bebês, excelente para passeios ao ar livre onde.

 

O que levar

 

A quantidade de peças vai depender do número de dias passados na maternidade: em casos de parto normal, fica-se de um a dois dias; já a cesárea pede que a mãe fique de dois a três dias em observação. Essa lista é baseada numa média de dois dias, podendo ser ajustada de acordo com a recomendação do hospital:

 

Para a mãe

 

  • Chinelos ou pantufa. Lembrem-se que os pés ficam ainda mais inchados no pós-parto e por isso o calçado deve ser bastante confortável.
  • Absorvente e protetor para os seios. Ajudam nos casos de fissuras e rachaduras nos mamilos.

 

  • Produtos de higiene pessoal: A maioria do hospital fornece, mas é bom levar os da sua marca preferida.
  • Pijamas ou roupas confortáveis: Leve duas opções para cada dia, pois o sangramento pós-parto pode sujar as peças. Tenha em mente também que as blusas ou vestidos devem facilitar a amamentação, então dê preferência para roupas com abertura frontal.

 

Para o bebê

 

  • Cinco trocas de roupa, cada uma com um macacão, um body e duas fraldas.
  • Uma manta se estiver calor e duas se estiver frio.
  • Cotonete.
  • Lenços umedecidos.
  • Gorros, luvas e meias se for inverno.

 

 

A Loja Era Uma Vez, especialista no enxoval do bebê, tem esses e muitos outros itens para deixar tudo pronto para a chegada do pimpolho! Entre no nosso site e confira nossos preços e promoções, além das incríveis condições de pagamento. Estamos juntos com a sua família em todos os momentos.