Quomodo Blog

Muitas coisas na nossa vida são movidas por nosso estado de espírito naquele momento. Quantas vezes você já brigou com alguém e depois pensou que o motivo não tinha nada a ver com a briga em si, mas sim em como você estava se sentindo naquela hora?

monica brava

Pensando nisso e também no nosso papel de pais, pensei em algumas perguntas básicas que podemos fazer a nós mesmos antes de tomar alguma atitude em relação aos nossos filhos (aqui cabe: colocar de castigo, brigar, dar uma palmadinha, ou até mesmo outras questões mais externas, como fazer uma festa em buffet ou matricular seu baby em uma aulinha de natação). Como geralmente seu filho ainda não tem muito esse poder de decidir, acho que essas perguntinhas podem te ajudar a pensar na motivação real daquela atitude. E ao menor sinal de respostas que te agradem, não tenha dúvida, vá em frente e faça o seu melhor!

  • Por quê estou fazendo isso? – Qual o objetivo real de tomar essa atitude, o que quero com isso? – Exemplo: Coloco o meu filho de castigo porque ele jogou o celular no chão. O que quero que ele aprenda quando o coloco de castigo?
  • Para quem estou fazendo isso? – Ou seja, essa atitude é para me acalmar/realizar/suprir minhas necessidades ou as do meu filho? Ou ainda: para satisfazer a vontade de outras pessoas, que não da minha família? Ex: Dar uma palmadinha quando seu filho dá escândalo no shopping.
  • Qual a capacidade de entendimento do meu filho sobre essa situação? – Muito importante. Já ouvi relatos de crianças que apanharam com menos de 8 meses e não consigo entender qual lição os pais gostariam de dar, posto que a criança nem sabia o que tinha feito de errado.
  • Eu quero ou ele quer? Quem quer? – Quem quer que seu filho goste de jogar basquete. Ele ou você? Que sinais ele demonstra a respeito?

O bacana de se colocar em reflexão é que ninguém precisa te julgar e você mesmo pode se sentir mais confortável em tomar decisões. É normal as vezes fazermos coisas e depois acharmos que exageramos ou nos sentirmos mal, mas se você estiver munida de seus próprios argumentos, entender o motivo será libertador, tenho certeza!

Faça o teste!

Um abraço.

Cecília.

A dica de hoje é dedicada à hora da brincadeira das crianças e dos pais. O Petting Zoo é um livro digital infantil interativo único do autor e ilustrador Christoph Niemann. As animações são feitas à mão todas muito divertidas e com toque surreal, que acabam sendo engraçadas, como o elefante na banheira.

Petting Zoo

Para brincar basta tocá-los para cima, para baixo, para os lados e no centro, é bem fácil e intuitivo. As reações diversas são sempre uma surpresa e divertem pela simplicidade e pelo humor impressos pelo autor.

O Petting Zoo é recomendado para crianças de mais de 4 anos e não tem limite, pois os adultos também costumam amar.

Os desenhos realmente surpreendem e fazem coisas inesperadas transformando cada “página” em uma aventura diferente, tudo isso com tecnologias de ponta.

Funciona mais como um livro de imagens e interativo pois não conta uma estória e não tem narração. Costuma conquistar as crianças pela forma com que os animais reagem imediatamente depois que tocamos neles.

Apenas um comentário visual: eles misturam coisas do mundo real com desenhos e talvez fosse o caso de se fazer tudo em formato de desenho.

Petting Zoo 02

Outra coisa, por ser muito divertido as crianças praticamente não largam o “brinquedo novo” e acaba fazendo falta um número maior de animais.

Este livro está disponível para IOS e Android e ambos são pagos e praticamente o mesmo preço.

Nos links abaixo você encontra as duas versões disponíveis e preços.

IOS > U$D 2.99
ANDROID > R$ 9,99

Olá amigas,

 

Mamães e familiares que estão passando ou já passaram por esse momento, “a hora de comprar o material escolar”.
É importante observar vários detalhes nesse período, pois temos a tendência de fazer tudo rapidinho, isso porque o tempo parece estar sempre contra nós, não é mesmo?
Então saímos comprando tudo o que entendemos ser o melhor, ou o mais barato, ou o mais bonito, ou o que as crianças querem, …, enfim os critérios vão de cada família.
Aqui em casa, procuro sempre reutilizar ou customizar o que ainda está em bom estado, e que sobrou de um ano para o outro. E isso, acreditem, faz uma boa diferença na hora de fazer as contas.
Outro fator que considero importante, podem confiar, pois sou professora, é a qualidade dos materiais a serem adquiridos. Lembrem que o barato custa caro e que nem sempre o mais caro é a melhor opção.
Levar os pequenos para fazer as compras é complicado, isso do meu ponto de vista, pois eles vão preferir sempre aqueles com os personagens do momento, ou seja, os mais caros. E em sala de aula isso não terá influência nenhuma no aprendizado deles!!!!
Amigas, as dicas são muita, por isso agora é a sua vez de falar. Conte-nos qual é a sua!
Beijocas, Cléo Moretti