Quomodo Blog

Fui meio maluca e decidi trocar de médico com 37 semanas de gravidez. É uma história longa, qualquer hora eu a compartilho aqui com vocês… 🙂

Quando comecei a busca nada fácil de tentar encontrar pessoas mais alinhadas com os meus valores, descobri um mundo cada vez mais lindo que é esse das pessoas que envolvem o processo da maternidade. São pessoas que nascem com essa vocação. Carinho e dedicação parecem não ter limites e isso mora tão dentro delas que podemos enxergar olhando nos olhos, é mágico!

É como estar hospitalizado e perceber que quem cuida de você (acredito ser a grande maioria, mas sei que nem todos são assim) faz aquilo por que gosta mesmo. Se preocupa com o seu bem-estar físico e tudo o mais que pode acontecer naquele momento. Sempre fui fã dessa dedicação, acredito que isso me levou à Psicologia e mais tarde a Psicologia Hospitalar.

Acredito que estar envolvida com essa dedicação nos afasta mesmo que por alguns instantes do mundão lá fora, onde tem um monte de gente querendo ser mais espertas do que as outras, roubando, matando, magoando. Faz a gente acreditar que tudo depende da forma como enxergamos a vida e como acreditamos que ela pode ser.

Ainda estou mergulhando agora nessas águas novas, mais muito cristalinas e puras, de ter respeitados e garantidos os meus sonhos e direitos em relação a forma de trazer minha filha ao mundo, mas prometo compartilhar com vocês assim que todo esse sonho se concretizar… mas com certeza o mais importante que eu poderia fazer, já fiz: me movimentar em busca do que eu queria, sair da minha zona de conforto. A sensação é inigualável! Você já experimentou?

Um abraço.

Cecília.

Filhos e Positividade!
3 de jun de 2016
Views:486

 

Essa semana li tantas notícias, opiniões e discussões nas redes sociais e mídia em geral,  totalmente divergentes e agressivas sobre vários assuntos (política, violência, direitos humanos, etc…) que minha cabeça até doeu. Não é fácil manter a tranquilidade dos nossos pensamentos – ainda mais quando estamos gerando uma vida dentro de nós – e acreditar que ainda temos coisas boas para nos concentrar. E que elas ainda existem.

Pensando nisso, me dei conta de que mais do que nos tornar pessoas melhores, os nossos filhos também nos ajudam a manter a positividade, sempre. Aposto que você já se deu conta que:

Um abraço de filho é o melhor presente do mundo – Quantas vezes me peguei chorando com qualquer coisa (e qualquer coisa mesmo, por exemplo um desenho animado com uma mensagem tocante!) e no mesmo instante, sem dizer nada, meu filho se aproximou de mim e me deu um abraço. Daqueles que deixam a gente sem palavras e com a voz mais embargada ainda…

Dá a impressão que eles percebem como nos sentimos, mesmo de dentro da barriga – Aqui nem estou pensando no que é comprovado cientificamente ou não (que desde fetos já temos vida psíquica), mas sim pensando na questão de sensibilidade mesmo. Quem nunca ficou triste durante a gravidez e tomou um “chute-uterino-para-parar-de-ser-besta”? rs

A ingenuidade das crianças é a coisa mais linda de se ver – Uma vez meu filho quis brincar de polícia e ladrão. O caso foi resolvido de forma pacífica: O policial prendeu o ladrão, o ladrão reconheceu que tinha feito alguma coisa errada (nesse caso era jogar lixo no chão), e então ele pediu desculpas ao policial, que por sua vez aceitou e tudo se resolveu! Que mundo mágico! 🙂

caillou 2

Nós somos muito importante para eles – Pelo simples fato de estar com um bebê na barriga, ou em casa, ou na vida, temos noção da grande responsabilidade. Não dá muito tempo para ficar se lamentando com as coisas que acontecem porta afora. Não podemos ficar alienados para o mundo, mas também nossa missão de construir um mundo melhor e pessoas melhores começa ali mesmo: no amor que você pode dar, no quanto você pode se doar, em um simples carinho ou com a nossa presença.

Você já prestou atenção a essas pequenas maravilhas de ter filhos ou crianças por perto?

Um abraço.

Cecília.