Quomodo Blog

Muitas coisas na nossa vida são movidas por nosso estado de espírito naquele momento. Quantas vezes você já brigou com alguém e depois pensou que o motivo não tinha nada a ver com a briga em si, mas sim em como você estava se sentindo naquela hora?

monica brava

Pensando nisso e também no nosso papel de pais, pensei em algumas perguntas básicas que podemos fazer a nós mesmos antes de tomar alguma atitude em relação aos nossos filhos (aqui cabe: colocar de castigo, brigar, dar uma palmadinha, ou até mesmo outras questões mais externas, como fazer uma festa em buffet ou matricular seu baby em uma aulinha de natação). Como geralmente seu filho ainda não tem muito esse poder de decidir, acho que essas perguntinhas podem te ajudar a pensar na motivação real daquela atitude. E ao menor sinal de respostas que te agradem, não tenha dúvida, vá em frente e faça o seu melhor!

  • Por quê estou fazendo isso? – Qual o objetivo real de tomar essa atitude, o que quero com isso? – Exemplo: Coloco o meu filho de castigo porque ele jogou o celular no chão. O que quero que ele aprenda quando o coloco de castigo?
  • Para quem estou fazendo isso? – Ou seja, essa atitude é para me acalmar/realizar/suprir minhas necessidades ou as do meu filho? Ou ainda: para satisfazer a vontade de outras pessoas, que não da minha família? Ex: Dar uma palmadinha quando seu filho dá escândalo no shopping.
  • Qual a capacidade de entendimento do meu filho sobre essa situação? – Muito importante. Já ouvi relatos de crianças que apanharam com menos de 8 meses e não consigo entender qual lição os pais gostariam de dar, posto que a criança nem sabia o que tinha feito de errado.
  • Eu quero ou ele quer? Quem quer? – Quem quer que seu filho goste de jogar basquete. Ele ou você? Que sinais ele demonstra a respeito?

O bacana de se colocar em reflexão é que ninguém precisa te julgar e você mesmo pode se sentir mais confortável em tomar decisões. É normal as vezes fazermos coisas e depois acharmos que exageramos ou nos sentirmos mal, mas se você estiver munida de seus próprios argumentos, entender o motivo será libertador, tenho certeza!

Faça o teste!

Um abraço.

Cecília.

Filhos e Positividade!
3 de jun de 2016
Views:486

 

Essa semana li tantas notícias, opiniões e discussões nas redes sociais e mídia em geral,  totalmente divergentes e agressivas sobre vários assuntos (política, violência, direitos humanos, etc…) que minha cabeça até doeu. Não é fácil manter a tranquilidade dos nossos pensamentos – ainda mais quando estamos gerando uma vida dentro de nós – e acreditar que ainda temos coisas boas para nos concentrar. E que elas ainda existem.

Pensando nisso, me dei conta de que mais do que nos tornar pessoas melhores, os nossos filhos também nos ajudam a manter a positividade, sempre. Aposto que você já se deu conta que:

Um abraço de filho é o melhor presente do mundo – Quantas vezes me peguei chorando com qualquer coisa (e qualquer coisa mesmo, por exemplo um desenho animado com uma mensagem tocante!) e no mesmo instante, sem dizer nada, meu filho se aproximou de mim e me deu um abraço. Daqueles que deixam a gente sem palavras e com a voz mais embargada ainda…

Dá a impressão que eles percebem como nos sentimos, mesmo de dentro da barriga – Aqui nem estou pensando no que é comprovado cientificamente ou não (que desde fetos já temos vida psíquica), mas sim pensando na questão de sensibilidade mesmo. Quem nunca ficou triste durante a gravidez e tomou um “chute-uterino-para-parar-de-ser-besta”? rs

A ingenuidade das crianças é a coisa mais linda de se ver – Uma vez meu filho quis brincar de polícia e ladrão. O caso foi resolvido de forma pacífica: O policial prendeu o ladrão, o ladrão reconheceu que tinha feito alguma coisa errada (nesse caso era jogar lixo no chão), e então ele pediu desculpas ao policial, que por sua vez aceitou e tudo se resolveu! Que mundo mágico! 🙂

caillou 2

Nós somos muito importante para eles – Pelo simples fato de estar com um bebê na barriga, ou em casa, ou na vida, temos noção da grande responsabilidade. Não dá muito tempo para ficar se lamentando com as coisas que acontecem porta afora. Não podemos ficar alienados para o mundo, mas também nossa missão de construir um mundo melhor e pessoas melhores começa ali mesmo: no amor que você pode dar, no quanto você pode se doar, em um simples carinho ou com a nossa presença.

Você já prestou atenção a essas pequenas maravilhas de ter filhos ou crianças por perto?

Um abraço.

Cecília.

O Coelho Vem ai!
1 de mar de 2013
Views:2077

Mamães arteiras de plantão, quem acompanha o blog pessoal, o Dona Maricota Feliz, sabe que sou “sucateira” (coisa de professora que trabalha com pequenos, rs) e sempre que possível faço alguma “arteirice”.

Já estamos pertinho da Páscoa, um momento de reflexões e de estar junto a quem amamos. Por isso, gosto de envolver os filhotes em atividades prazerosas e criativas.

Eu vou tomar como minha essa criação, porque não vi ainda nenhuma igual a essa. Mas podem copiar a vontade, ehhhh. Ficarei feliz!

Quero lhes apresentar a nossa cesta de páscoa:
Cesta de Páscoa

Essa cobri todinha com filtro de café (usado) e cola cascorez (ideal pra artesanato)

Molde – Moldei as orelhas de acordo com o tamanho da caixa
molde de cesta de páscoa

As técnicas para cobrir a cestinha são várias, use a sua criatividade.

cesta de páscoa pintada com esmaltecesta de pácoa decorada com crepomcsta de páscoa pintada com tinta de tecidocesta de páscoa decorada com algodão

Aqui em casa a Páscoa é uma verdadeira festa!
Aguardem o post da próxima semana!

Beijocas e um ótimo final de semana!
Cléo Moretti

Assinatura Cléo